Minerais | Recursos Naturais Inorgânicos

Minerais | Recursos Naturais Inorgânicos 

Minerais | Recursos Naturais Inorgânicos

Os minerais são recursos naturais não renováveis de origem inorgânica e muito empregados para fins econômicos diversos.

Os minerais são compostos ou elementos químicos maciços, com uma composição estabelecida, cristalizados e formados a partir de processos inorgânicos ou também oriundos de asteroides ou meteoritos que atingiram o planeta. Estão presentes nas rochas, que nada mais são do que um conjunto de minerais aglutinados.

O estudo e a compreensão das características dos minerais é de suma importância para conhecer os diferentes tipos de rochas e suas gêneses, além das formas de relevo e, principalmente, para o uso de tais minerais em atividades econômicas. Os minerais que são extraídos para fins econômicos são chamados de minérios.

Os minerais podem ser formados no interior da Terra ou constituídos próximo à superfície, o que lhes dará características químicas e estruturais diferenciadas. Os seus processos de formação são variados, envolvendo a cristalização do magma, a condensação de materiais rochosos nas camadas inferiores, a modificação de minerais preexistentes sob condições específicas de pressão e temperatura, entre outros.

Minerais | Recursos Naturais Inorgânicos
A classificação dos minerais vai depender do critério a ser escolhido, como a composição química, a dureza, a cristalização, entre outros. No entanto, os dois tipos mais conhecidos e utilizados são os minerais metálicos e os minerais não metálicos. Entre os metálicos, podemos citar o ferro, o manganês, a bauxita (alumínio), o cobre, o ouro, a prata, entre outros. Já entre os não metálicos, citam-se o carvão mineral, o quartzo, o rubi e outros.

Os minerais são recursos naturais não renováveis, ou seja, não há nenhum mineral existente na natureza que pode ser reposto em tempo hábil de ser novamente utilizado pelas atividades humanas. Afinal, o seu tempo de formação é de milhares de anos na maioria dos casos. Portanto, é necessário um certo controle da sua exploração, não só em função de sua possível escassez, mas também pelos impactos ambientais proporcionados pela atividade mineradora.

Minerais | Recursos Naturais Inorgânicos

www.megatimes.com.br
www.klimanaturali.org

Floresta de Coníferas Temperada

Floresta de Coníferas Temperada

Floresta de Coníferas Temperada

A Floresta de Coníferas Temperada é um bioma terrestre encontrado nas regiões temperadas do mundo, com verões quentes e invernos frios, chuvas adequadas para suportar o crescimento de uma floresta. Na maioria dos casos, essas florestas consistem em coníferas sempre-verdes, enquanto em alguns casos há uma mistura de coníferas perenes ou decíduas e árvores de folha caduca. As florestas temperadas perenes são mais freqüentes ao longo das áreas costeiras de regiões com invernos amenos e chuvas abundantes, ou no clima interno de clima mais seco ou em áreas montanhosas.

As florestas de coníferas são o lar de muitas espécies, incluindo cedro, cipreste, abeto de Douglas, abeto, zimbro, pinho, podocarpus, pecci, sequóia e teixo. O mato normalmente contém uma grande variedade de espécies herbáceas e arbustivas.

Estruturalmente, essas florestas são bastante simples, geralmente consistem em dois níveis: uma floresta e uma vegetação rasteira. temperado de coníferas, caracterizado por umidade muito notável, temperatura moderada; as espécies dominantes são: árvores coníferas, como a cicuta (Tsuga heterophylla), árvore da vida (Thuya plicata), abeto (Abies grandis), abeto douglas (Pseudotsuga), pau-brasil. A vegetação do undergrowth é desenvolvida; plantas higrófilas (por exemplo, musgo) são muito abundantes; a biomassa dos produtores é muito abundante. Algumas florestas também podem hospedar um nível intermediário de arbustos. Os pinhais suportam uma vegetação rasteira, dominada por gramíneas e espécies herbáceas perenes e por isso são mais frequentemente alvo de incêndios.

Floresta de Coníferas Temperada
Floresta de Coníferas Temperada
Floresta de Coníferas Temperada
Floresta de Coníferas Temperada
Floresta de Coníferas Temperada
Floresta de Coníferas Temperada
Floresta de Coníferas Temperada
Floresta de Coníferas Temperada
Floresta de Coníferas Temperada
Floresta de Coníferas Temperada

Pinhais | História e Geografia de Pinhais | Paraná

Pinhais | História e Geografia de Pinhais | Paraná

Pinhais | História e Geografia de Pinhais | Paraná

Histórico do Município  de Pinhais
Em 1885, era inaugurada a Estrada de Ferro Curitiba-Paranaguá. Junto com o trem, chegaram também os operários e suas famílias. Era o primeiro núcleo de povoamento. Quem morava na região trabalhava na Cerâmica de Francisco de Almeida Torres. 

No início da década de 20, quando Guilherme Weiss tornou-se o novo proprietário da cerâmica, o processo de colonização se efetivou.

Por volta de 1930, casas foram construídas em torno da cerâmica e da Estação Ferroviária para abrigar os novos trabalhadores. Nascia então a primeira vila de Pinhais.

No ano de 1964, o comendador Humberto Scarpa já havia loteado as primeiras áreas, fazendo surgir os bairros Weissópolis, Vargem Grande, Vila Esplanada e Tarumã, assim, foi criado o Distrito de Pinhais, pertencente ao município de Piraquara. Muito próximo à Curitiba, o pequeno distrito absorvia os migrantes vindos do interior do estado de Santa Catarina com destino à capital. Era a década de 70 e Curitiba tinha um expressivo crescimento populacional. 

A ligação foi se consolidando, o distrito foi se desenvolvendo e ganhando um número cada vez maior de habitantes, de tal forma que, em 20 de março de 1992, Pinhais foi elevado à condição de Município, sendo emancipado de Piraquara.

Pinhais, localiza-se na Região Metropolitana de Curitiba e mesmo sendo o menor dos 399 municípios paranaenses em área territorial, com 61,137 km², figura entre as 14 cidades mais populosas do estado, com uma população de 128.256 (segundo estimativa divulgada pelo IBGE em 30 de agosto de 2016). 

Desde sua emancipação, Pinhais teve os seguintes prefeitos:
• João Batista Costa: 1993 - 1996
• Siegfrield Zico Böving: 1997 - 2000
• Luis Cassiano de Castro Fernandes: 2001 - 2004, 2005 - 2006 
• Mário Bonaldo: 2006 - 2008
• Luiz Goularte Alves : 2009 - 2012, 2013 - 2016
• Marly Paulino Fagundes: 2017 - 2020

Símbolos
O termo "Pinhais" provém da palavra pinus, porque durante seus primeiros anos, a região abrangia uma grande quantidade de pinheiros. A palavra 'pinha', descende do latim e significa pinus, como são chamados os pinheiros. Durante o início da povoação, Pinhais abrangia uma enorme quantidade de Pinheiros-do-Paraná (Araucaria angustifolia), árvore símbolo do estado paranaense. 

As criaturas responsáveis pela disseminação, ou seja, da plantação destas árvores são as gralhas-azuis, que ao alimentarem-se de pinhões acabam por semear a semente. A gralha-azul tornou-se um símbolo municipal sendo até mesmo citada no hino municipal de Pinhais. As araucárias foram empregadas na bandeira e no brasão do município.

Pinhais | História e Geografia de Pinhais | Paraná

Hino Oficial do Município
Letra e Música: Valdir Pereira de Araújo
Pinhais... Pinhais... Pinhais...
És de um povo varonil...
Terra dos Mananciais
Uma estrela que surgiu...
Estribilho
Altaneira, vigorosa
Na Terra dos Pinheirais
No canto da gralha azul
Vou cantar de Norte a Sul
Pinhais... Pinhais... Pinhais...
Tua gente é esperança...
O teu céu é cor de anil,
Tua força se agiganta,
No chão deste meu Brasil.
Desfralde tua Bandeira,
No progresso, amor e paz,
Nas cores alvissareiras,
Tu serás sempre Pinhais.
Avante Pinhais, avante,
No caminho do porvir...
Tu serás a mais brilhante
Das estrelas a luzir!

Bandeira de Pinhais
Idealizada pelo professor Douglas Macarthur de Oliveira Boechat, a bandeira de Pinhais representa o céu e os mananciais do município pela cor azul. O amarelo simboliza as riquezas e, o verde as matas do município. No centro branco, que simboliza o futuro promissor da cidade, está o brasão municipal.

Pinhais | História e Geografia de Pinhais | Paraná

Brasão de Pinhais
Também idealizado pelo Professor Douglas Macarthur de Oliveira Boechat, o brasão de Pinhais é do tipo português. O corte horizontal divide o brasão em duas partes: a superior é o campo do Chefe e os demais símbolos integrantes do Brasão de Armas.

No campo do chefe está o sol nascente com cinco raios que significa a unidade, a verdade, majestade, abundância e a riqueza, representando o novo tempo que se inicia para o município. Os pinheiros correspondem à arvore típica que deu origem ao nome da cidade.

Na parte inferior esquerda, a flor-de-lis representa a padroeira do município. Já na parte inferior direita está figura uma roda dentada, em ouro (amarelo) com 12 (doze) dentes, representando a atividade industrial, principal fonte de renda do Município.

A faixa azul abaixo traz o nome e a data de emancipação da cidade e, as cores que compõe o brasão têm os mesmos significados da bandeira.

• Legislação Lei nº 006 (15/03/1993) – Institui o Brasão de Armas e a Bandeira do Município de Pinhais e dá outras providências.

Aspectos Geográficos
Área Territorial:  61,137 km2

Municípios Limítrofes de Pinhais
Pinhais pertence à Região Metropolitana de Curitiba e limita-se ao norte com os municípios de Colombo e Quatro Barras, ao sul com São José dos Pinhais e Piraquara, ao leste com Piraquara e a Oeste com Curitiba.

População Total: 130.190 hab

Coordenadas geográficas 
Altitude (metros): 893
Latitude: 25°26´ 41” S
Longitude: 49° 11' 33'' W

Pinhais | História e Geografia de Pinhais | Paraná

Formação Geológica
O Município de Pinhais encontra-se no primeiro planalto paranaense a 893 metros de altitude acima do nível do mar. Com cerca de 61,007 quilômetros quadrados de extensão, Pinhais é considerado um local plano e com suaves inclinações e montes. Em sua superfície, encontram-se argila e areia depositadas ao longo dos rios e nos arredores da cidade, chamada de Formação Guabirotuba ou Bacia de Curitiba, estendida desde a escarpa de São Luis do Purunã até Quatro Barras. As principais características geomorfológicas localizadas nesta região são as planícies de várzeas ou de inundações, com depósitos sedimentares pouco entalhados e frequentes terrenos alagadiços, intercalados com um relevo de vertentes suaves em algumas áreas.

Vegetação
Embora seja muito popular por suas araucárias, o Município de Pinhais abrange outros tipos de vegetações, distribuídos ao longo da região, em diferentes solos e altitudes. Algumas áreas do município ainda estão preservadas naturalmente, como a região conhecida como Área de Proteção Ambiental do Iraí, que de fato, possui um território de propriedade de Pinhais. Como dito, o tipo de vegetação mais conhecido em Pinhais é a Mata Araucária que é formada, majoritariamente, por Pinheiros-do-Paraná. Esta vegetação foi encontrada nestes solos desde a formação dos primeiros povoados, e foi um fator que influenciou a nomeação do município, no entanto ao longo dos anos o número de unidades foi diminuindo. A vegetação do município pinhaiense também conta com a vegetação conhecida como Campos Naturais, que possui sua formação enquadrada como estepe gramíneo-lenhosa, distribuindo-se pela região, onde as gramíneas (capim) predominam e a parte lenhosa é representada por capões e matas de galeria. Geralmente este tipo de vegetação é encontrada em locais planos e altos, majoritariamente utilizados para as atividades agropecuárias que não são muito utilizadas na região. Como o município abrange um total de cinco rios e uma represa, é comum se ver nesta região a conhecida vegetação chamada Mata Ciliar, que forma-se nas margens dos rios. É também conhecida como mata de galeria, mata de várzea, vegetação/floresta ripária.

Hidrografia
A Área de Proteção Ambiental do Iraí (conhecida como "APA do Iraí"), de grande importância para o próprio município e toda a Região Metropolitana, é formada por mananciais responsáveis por grande parte do abastecimento de água para estas regiões. Os rios que estão presentes em Pinhais, compõem a Bacia Hidrográfica do Rio Iguaçu, a maior do estado paranaense. O Rio Iraí é considerado por muitas pessoas como o rio mais importante do município de Pinhais. Suas nascentes estão localizadas no Município de Piraquara, onde foi represado para o abastecimento que inclui Curitiba e Região Metropolitana. Este rio estende-se por Pinhais, além dos municípios de Piraquara, Colombo e Quatro Barras. Ao sul do município, encontra-se com o Rio Atuba, pertencentes à bacia hidrográfica do Rio Iguaçu. Grande parte das nascentes do Rio Atuba localizam-se no Município de Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba e deságua no Rio Iraí. O Rio Atuba é responsável por delimitar o Município de Pinhais com Curitiba. Suas águas estão severamente poluídas graças a um grave problema de ordenamento territorial em suas margens e a desconscientização da população, o que acaba prejudicando a mata ciliar e o leito do rio, sem falar em possíveis alagamentos. O Rio Palmital possui suas nascentes localizadas em Curitiba, no encontro de afluentes vindos de Colombo e Almirante Tamandaré e percorre o Município de Pinhais de norte a sul, onde acaba por encontrar-se com o Rio Iraí. Devido a falta de saneamento básico, recebe um grande nível de carga de esgoto doméstico, prejudicando a mata ciliar e a saúde de quem convive com este problema; embora esteja extremamente poluído atualmente, o Rio Palmital já foi limpo e segundo a população veterana da região, crianças brincavam no rio. O Rio do Meio nasce ao norte de Pinhais e encontra-se ao sul nas "cavas" (local também conhecido como Parque das Águas), próximo ao Rio Iraí, ocupando uma área de 40 quilômetros quadrados. Considerado o menor rio do município, o Rio do Meio é o único rio que está totalmente dentro do território pinhaiense. Embora esteja naturalmente preservado, o rio corre grandes riscos de contaminação graças a ocupações irregulares próximas à sua nascente.

O município de Pinhais e outros da Região Metropolitana são abastecidos pela Represa do Iraí, que ocupa uma área pertencente ao território pinhaiense, ao município de Piraquara, entre outros. A barragem no local foi criada para controlar as cheias, ou seja, para conter o excesso de água em períodos, principalmente, de chuva na região. O reservatório abastece cerca de um milhão de pessoas na Região Metropolitana. Ainda no município de Pinhais, está localizado o Parque das Águas, localizado ao sul do município, onde o Rio do Meio deságua, ou seja, próximo ao Rio Iraí nos limites de Piraquara e a região pinhaiense. Esta localidade é também conhecida como "as cavas", local atrativo para a prática de pesca e onde existe a extração mineral de areia.

Pinhais | História e Geografia de Pinhais | Paraná

Clima
O território do Município de Pinhais localiza-se na região de clima subtropical, onde dominam temperaturas amenas. Conforme a classificação de Köppen em Pinhais domina o Clima do tipo Cfb - Clima subtropical úmido (mesotérmico), com média do mês mais quente superior a 22°C e do mês mais frio inferior a 18°C, sem estação seca, verão brando e geadas severas frequentes.

Dados Socioeconômicos
Atualmente, possui a 11ª maior arrecadação do Paraná. Dona de um vasto polo industrial, com aproximadamente 11 mil empresas, se destaca principalmente na indústria de metal mecânica, plásticos e prestação de serviços.  

Outro fator importante é que o município oferece uma série de incentivos para a atração de empresas, como o Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Econômico e Sustentável de Pinhais – Proindesp, que prevê, entre outros benefícios, a redução da carga tributária. 

Segundo o último Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizado em 2010, Pinhais configura-se como a 14ª maior cidade paranaense em população, com mais de 120 mil habitantes. Desses, mais de 61 mil integram a parcela economicamente ativa da localidade, que apresenta um PIB per capita de R$ 39 mil. 

No Ranking Nacional da Transparência, Pinhais está entre os cinco do Paraná com nota 10 no quesito transparência da gestão fiscal, avaliado pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR).

Feriados Municipais
20 de março - Emancipação Política do Município de Pinhais (Lei Municipal nº 114 de 20 de março de 1995)

Piauí | Mapas Geográficos do Piauí

Piauí | Mapas Geográficos do Piauí

O Piauí é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está localizado a noroeste da região Nordeste e tem como limites o oceano Atlântico (N), Ceará e Pernambuco (L), Bahia (S e SE), Tocantins (SO) e Maranhão (O e NO). Ocupa uma área de 251.529 km² (pouco maior que o Reino Unido) e tem 3.532 421 habitantes. Sua capital é a cidade de Teresina.

As cidades mais populosas são Teresina (852.537 hab), Parnaíba (149.059 hab), Picos (79.021 hab), Piripiri (65.107 hab), Floriano (57.968 hab), Campo Maior (46.068 hab), Barras (44.913 hab), União (43.135 hab), Altos (41.735 hab) e São Miguel do Tapuio (37.850). O relevo é moderado e a topografia regular, com mais de 53% abaixo dos trezentos metros. Parnaíba, Poti, Canindé, Piauí e Gurguéia são os rios principais.

O topônimo "Piauí" veio da língua tupi, na qual significa "água de piaba".

Piauí | Mapas Geográficos do Piauí
Piauí | Mapas Geográficos do Piauí
Piauí | Mapas Geográficos do Piauí
 www.megatimes.com.br
www.klimanaturali.org

Parnaíba | Cidade do Piauí

Parnaíba | Cidade do Piauí

Parnaíba | Cidade do Piauí
Parnaíba | Cidade do Piauí
Parnaíba | Cidade do Piauí
Parnaíba | Cidade do Piauí
Parnaíba | Cidade do Piauí

Parnaíba é uma cidade portuária no Piauí, no Brasil, na margem direita do Rio Parnaíba, a 400 km a norte da capital, Teresina. É uma das únicas quatro cidades costeiras do estado.

A cidade de Parnaíba está situada no ponto onde a maioria das vazantes do delta do Parnaíba se encontra. A cidade tem alguns edifícios antigos construído com estilo português antigo, incluindo duas igrejas e um hospital. A cidade de Parnaíba é o entreposto comercial do estado do Piauí; suas exportações são principalmente através do pequeno porto de Amarração, na foz do rio Igaraçu, a 18 km da cidade. A própria cidade não tem muito apoio econômico além das exportações, embora tenha algumas atrações turísticas que, de certa forma, não tem apoio do governo federal.

www.megatimes.com.br
www.klimanaturali.org