São Cristóvão e Nevis | Aspectos Socioeconômicos de São Cristóvão e Nevis

São Cristóvão e Névis | Aspectos Socioeconômicos de São Cristóvão e Névis


Geografia | Área: 269 km². Hora local: -1h. Clima: tropical. Capital: Basseterre. Cidades: Basseterre (14.800) , Charlestown (1.700) (2018).

População |  48 mil (2018); nacionalidade: são-cristovense; composição: afro-americanos 94%, eurafricanos 3%, europeus 3%. Idioma: inglês (oficial). Religião: cristianismo 94,8% (protestantes 57,8%, anglicanos 25,1%, outros 19% - dupla filiação 7,1%), outras 4%, sem religião 1,3%. Moeda: dólar do Caribe do Leste.

Relações Exteriores | Organizações: Banco Mundial, Caricom, Comunidade Britânica, FMI, OEA, OMC, ONU. Embaixada: 3216, New Mexico Avenue NW, Washington D.C. 20016, EUA; e-mail: info@stkittsnevis.org, site na internet: www.stkittsnevis.org.

São Cristóvão e Nevis | Aspectos Socioeconômicos de São Cristóvão e Nevis

Governo | Monarquia parlamentarista. Div. administrativa: 2 estados (São Cristóvão e Nevis). Chefe de Estado: rainha Elizabeth II do Reino Unido. Partidos: Trabalhista de São Cristóvão e Nevis (SKNLP), Movimento dos Cidadãos Responsáveis (CCM), Movimento de Ação Popular (PAM), Reformista de Nevis (NRP). Legislativo: unicameral – Assembleia Nacional, com 15 membros. Constituição: 1983.

Bandeira de São Cristóvão e Nevis  São Cristóvão e Nevis é formado por duas pequenas ilhas no leste do mar do Caribe. São Cristóvão, a maior delas, concentra 80% dos habitantes, a grande maioria descendente de escravos africanos. Seu relevo é montanhoso, com uma planície litorânea no sudeste, onde se encontram lagos de sal e praias de areia branca. Um canal de 3 quilômetros de largura a separa da ilha de Nevis. O país é tradicional produtor de cana-de-açúcar. Nos últimos anos, cresce a importância econômica do turismo e do setor financeiro. Nevis abriga um movimento autonomista que defende a separação de São Cristóvão.

História de São Cristóvão e Nevis

 Basseterre | Capital de São Cristóvão e Névis
 Basseterre | Capital de São Cristóvão e Nevis
Os índios caraíbas habitam as ilhas antes da chegada de Cristóvão Colombo, em 1493. Ingleses estabelecem ali sua primeira colônia do Caribe, introduzindo o cultivo de cana-de-açúcar com mão-de-obra escrava africana. Depois de disputas territoriais com a França, o Tratado de Versalhes (1783) estabelece a soberania da Inglaterra sobre a região, com Anguilla e Ilhas Virgens. Em 1967, passam a ser Estado livre associado ao Reino Unido, com Anguilla, que depois se separa e retoma a condição de colônia britânica. São Cristóvão e Névis tornam-se independentes em 1983, com um governo formado pelo Movimento de Ação Popular (PAM) em coalizão com o Partido Reformista de Névis (NRP). Em 1992, o oposicionista Movimento dos Cidadãos Responsáveis (CCM) vence as eleições em Névis e inicia campanha separatista na ilha. O Partido Trabalhista de São Cristóvão e Névis (SKNLP) vence as eleições de 1995, e Denzil Douglas torna-se primeiro-ministro. Em plebiscito de 1998, os separatistas de Névis recebem 62% dos votos, que não são suficientes para aprovar a cisão. Nas eleições parlamentares de março de 2000, o SKNLP conquista oito cadeiras, e o CCM, duas. Em junho, a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) inclui o país entre os paraísos fiscais, por atrair investimentos sigilosos ao conceder isenção de impostos, o que pode facilitar a lavagem de dinheiro ilegal.

Em 2001, o CCM conquista quatro das cinco cadeiras da Assembléia de Nevis. No ano seguinte, a OCDE retira o país da lista de paraísos fiscais. Nas eleições gerais de outubro de 2004, o SKNLP obtém sete das 11 cadeiras em disputa, e o CCM fica com duas. Denzil Douglas inicia o terceiro mandato como primeiro-ministro.

www.megatimes.com.br
www.klimanaturali.org