Coração de Jesus | Minas Gerais

Coração de Jesus | Minas Gerais

Coração de Jesus | Minas Gerais

População estimada [2019]: 26.592 pessoas 
Área da unidade territorial: 2.225,216 km² 
Gentílico: Corjesuense  

Saúde
A taxa de mortalidade infantil média na cidade é de 13.99 para 1.000 nascidos vivos. As internações devido a diarreias são de 0.3 para cada 1.000 habitantes. Comparado com todos os municípios do estado, fica nas posições 313 de 853 e 491 de 853, respectivamente. Quando comparado a cidades do Brasil todo, essas posições são de 2263 de 5570 e 3907 de 5570, respectivamente.


Educação
 Em 2015, os alunos dos anos inicias da rede pública da cidade tiveram nota média de 6.3 no IDEB. Para os alunos dos anos finais, essa nota foi de 4.2. Na comparação com cidades do mesmo estado, a nota dos alunos dos anos iniciais colocava esta cidade na posição 287 de 853. Considerando a nota dos alunos dos anos finais, a posição passava a 626 de 853. A taxa de escolarização (para pessoas de 6 a 14 anos) foi de 96.7 em 2010. Isso posicionava o município na posição 634 de 853 dentre as cidades do estado e na posição 3987 de 5570 dentre as cidades do Brasil.

Trabalho
Em 2016, o salário médio mensal era de 1.5 salários mínimos. A proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de 6.1%. Na comparação com os outros municípios do estado, ocupava as posições 602 de 853 e 775 de 853, respectivamente. Já na comparação com cidades do país todo, ficava na posição 4645 de 5570 e 4548 de 5570, respectivamente. Considerando domicílios com rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa, tinha 49.9% da população nessas condições, o que o colocava na posição 52 de 853 dentre as cidades do estado e na posição 1423 de 5570 dentre as cidades do Brasil.

Território e Ambiente
Apresenta 17.9% de domicílios com esgotamento sanitário adequado, 86.9% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização e 0.9% de domicílios urbanos em vias públicas com urbanização adequada (presença de bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio). Quando comparado com os outros municípios do estado, fica na posição 775 de 853, 130 de 853 e 774 de 853, respectivamente. Já quando comparado a outras cidades do Brasil, sua posição é 3797 de 5570, 1805 de 5570 e 4434 de 5570, respectivamente.

História
Foi o intrépido e destemido bandeirante Paes Leme, o primeiro a atingir a região que forma o município, formando desde então a povoação do antigo arraial de Sagrado Coração de Jesus, poucos anos antes de 1777. Por essa época apareceu no local Antônio José da Costa, conseguindo a primeira sesmaria. Mais tarde, fizeram-lhe companhia os concunhados Magalhães e Francisco Leal, que doaram à capelinha já existente, meia légua de terras em quadra. Entretanto, devido à escassez de elementos que lhe pudessem imprimir maior desenvolvimento, sofreu a povoação alguns anos de interrupção no seu progresso. 

A partir de 1832, a indústria extrativa da borracha atraiu numerosos trabalhadores conseguindo então a estrada da prosperidade ascendente. Também, a exuberância dos campos de pastagens, apropriados à criação de gado e cavalar, transformaram o atual município em um dos mais progressistas do Estado. 

O topônimo originou-se de homenagem ao Sagrado Coração de Jesus, padroeiro do lugar.
 
Formação Administrativa 
Povoação de Santíssimo Coração de Jesus, tornada sede de distrito por Decreto de 14 de julho de 1832 e Lei Estadual nº 2, de 14 de setembro de 1891. Por Lei Estadual nº 556, de 30 de agosto de 1911, foi criada com sede nesta povoação e vila denominada Inconfidência, em território desmembrado do Município de Montes Claros. Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o Município de Inconfidência se compõe de três distritos: Inconfidência, Conceição da Extrema e Jequitaí. Instalada a vila em 1 de junho de 1912. Por Lei Estadual nº 843, de 7 de setembro de 1923, o Município de Inconfidência compõe-se dos distritos de Inconfidência (antigo Coração de Jesus), Borda do Rio (antigo Extrema) e Jequitaí. Cidade por Lei Estadual 893, de 10 de setembro de 1925. Tomou o nome de Coração de Jesus, por Lei Estadual nº 1035, de 20 de setembro de 1928. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o Município de Coração de Jesus compõe-se de 3 distritos: Coração de Jesus, Ibiaí (antes Conceição da Extrema) e Jequitaí. Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, bem como no quadro anexo ao Decreto-Lei Estadual nº 88, de 30 de março de 1938, o Município de Coração de Jesus pertence ao têrmo judiciário de Coração de Jesus, da comarca de Montes Claros, e se divide em 3 distritos: Ibiaí e Jequitaí. No quadro fixado pelo Decreto Estadual nº 148, de 17 de dezembro de 1938, para 1939-1943, o Município de Coração de Jesus é composto dos distritos de Coração de Jesus, Ibiaí e Jequitaí, e é termo da comarca de Montes Claros. Em virtude do Decreto-Lei Estadual 1058, de 31 de dezembro de 1943, que fixou o quadro territorial para vigorar no quinquênio 1949-1953, 

o Município de Coração de Jesus ficou composto dos distritos de Coração de Jesus, Ibiaí e Jequitaí, e é termo judiciário da comarca de Montes Claros. Figura no quadro fixado pela Lei nº 336, de 27-XII-1948 composto dos distritos de Coração de Jesus, Alvação, ibiaí, Lagoa dos Patos, São Geraldo, São João da Lagoa, São João do Pacuí e São Joaquim. Assim permanecendo no fixado pela Lei nº 1039, de 12-XII-1953, para 1954-58, comarca de Coração de Jesus. 

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960. 

Coração de Jesus | Minas Gerais
Coração de Jesus | Minas Gerais
Coração de Jesus | Minas Gerais
Coração de Jesus | Minas Gerais
Coração de Jesus | Minas Gerais
Coração de Jesus | Minas Gerais
Coração de Jesus | Minas Gerais

Fonte: IBGE
www.megatimes.com.br
www.klimanaturali.org