Aquitânia | Região da França

Tags

Aquitânia | Região da França

Aquitânia | Região da França

Região histórica da Gália e, posteriormente, da França, a Aquitânia é hoje région de programme (região de planejamento) francesa e engloba as províncias de Dordogne, Gironde, Landes, Lot-et-Garonne et Pyrenées-Atlantiques. Com uma área de 41.308km2, corresponde aproximadamente à metade ocidental da Aquitânia histórica e sua maior cidade é Bordéus (Bordeaux). A região tem na vinicultura sua principal atividade econômica, mas também se cultivam pêras, maçãs, ervilha e feijão. Há ainda muitas florestas e, em Bordéus, grandes indústrias.

Centro de trovadores na baixa Idade Média, a Aquitânia tornou-se posteriormente objeto de disputa constante entre a Inglaterra e a França.

História. Segundo a descrição feita por Júlio César em De bello gallico, a Aquitânia ocupava uma área que se estendia dos Pireneus até o rio Garona. O imperador Augusto tornou-a distrito administrativo romano, limitado ao norte pelo rio Loire e a leste pelo maciço Central. No século V a Aquitânia foi conquistada pelos visigodos, vencidos no ano 507 por Clóvis, que a anexou ao reino franco. No século VIII, Pepino o Breve a administrou como ducado.

Elevada a reino por Carlos Magno, a Aquitânia foi governada pelo filho do imperador, o futuro Luís I o Piedosoo. Devastada pelos normandos no século IX, passou a ser controlada por Guilherme I o Pio, conde de Auvergne e fundador da abadia de Cluny. Mais tarde a região foi disputada pelos condados de Auvergne, Toulouse e Poitier. Esta última casa, mais poderosa,  dominou-a como ducado até o século XI.

Na dinastia dos potevinos, reconhecida pelos reis capetos, a Aquitânia experimentou intenso movimento cultural, traduzido sobretudo pela presença de numerosos trovadores. Como o último duque da Aquitânia morresse sem deixar herdeiros, sua filha Alienora casou-se com o rei da França, Luís VII o Jovem, e toda a região foi anexada à coroa francesa. Em 1152 esse casamento foi anulado e Alienora casou-se com Henrique II Plantageneta, conde de Anjou e duque de Normandia, que em 1154 se tornou rei da Inglaterra. Foi então que seu filho, Ricardo Coração de Leão, tomou posse da Aquitânia e ali passou grande parte.

Aquitânia

Ao longo dos séculos XII e XIII  a Aquitânia sofreu sucessivos desmembramentos, à medida que os reis capetos procuravam reconquistá-la. Com o Tratado de Paris (1259), o ducado da Guyenne (corruptela de Aquitânia) manteve-se, embora bastante reduzido, como possessão inglesa. Em 1453, porém, Carlos VII reintegrou a região na França, situação que ao final do século XV se tornara definitiva.

www.megatimes.com.br
www.klimanaturali.org