GEOGRAFIA E HISTÓRIA DE ANTIGUA E BARBUDA

Antigua e Barbuda
O estado de Antigua e Barbuda se compõe de três ilhas principais, Antigua, Barbuda e Redonda, pertencentes ao grupo de Sotavento das Pequenas Antilhas, no Caribe oriental. O país se limita a leste com o oceano Atlântico, a oeste com São Cristóvão e Nevis, ao norte com Anguilla e ao sul com Montserrat e Guadalupe. A superfície total das ilhas é de 441,6km2.

O clima tropical, a paisagem pitoresca e a alegria dos carnavais de verão fazem das ilhas caribenhas de Antigua e Barbuda um autêntico paraíso turístico.
Geografia
Antigua, a maior das ilhas (280km2), tem território baixo e ondulado. O ponto culminante é o pico Boggy (405m), situado a oeste da ilha, numa zona de origem vulcânica. A costa é recortada e apresenta alguns trechos abruptos junto com baías profundas, como a de Saint John's, e enseadas rasas, como as de Parham e English. Existem alguns rios pequenos, mas a vegetação é rasteira.

Barbuda, antes chamada Dulcina, fica a quarenta quilômetros ao norte de Antigua e tem superfície de 160,5km2. A ilha, de origem coralina, apresenta relevo baixo e plano (85m de altitude máxima na colina Lindsay, a nordeste). É coberta de bosques e tem fauna muito rica (aves, cervos, porcos selvagens). A parte oeste é ocupada por uma laguna.

Redonda é uma ilhota rochosa de 1,5km2, situada a sudoeste de Antigua. Embora esteja desabitada, é importante do ponto de vista econômico por suas jazidas de fosfatos.

O clima das ilhas é quente (média anual de 27oC), embora suavizado pela brisa marinha, e apresenta freqüentes períodos de estiagem. O nível de precipitações anuais é de 1.188mm -- baixo, se comparado com o de outras ilhas caribenhas.


População
A população de Antigua e Barbuda é majoritariamente negra, descendente dos escravos trazidos da África durante a época colonial. O crescimento vegetativo é relativamente reduzido, com taxas de natalidade e mortalidade baixas. A expectativa de vida ultrapassa 65 anos.

A capital do país é Saint John's, situada no noroeste de Antigua. Em Barbuda fica a cidade de Codrington, diante da laguna que domina o setor ocidental da ilha. O inglês é a língua oficial. A grande maioria da população professa o cristianismo, sobretudo as confissões anglicana e protestante; o catolicismo é minoritário. 

Economia
Antigua e Barbuda têm um dos maiores índices de renda per capita do Caribe oriental. Depois de atravessar uma grave crise durante a década de 1970, a economia do país começou a revitalizar-se graças ao turismo, que se transformou na principal fonte de divisas, e aos projetos de desenvolvimento agrícola e industrial patrocinados pelo governo. A cana-de-açúcar e o algodão são as culturas tradicionais do país, seguidas em importância pelas de frutas tropicais e verduras. As indústrias mais importantes são a pesqueira, controlada por uma empresa estatal, a têxtil, a de fabricação de colchões, a de eletrodomésticos e a petrolífera. Em 1972 extinguiu-se o setor de refinação de açúcar.

O desenvolvimento econômico gerou um desequilíbrio crescente da balança comercial em favor das importações (produtos alimentícios e têxteis), oriundas principalmente dos Estados Unidos e do Reino Unido. O comércio marítimo se concentra em Saint John's (Deep Water Harbour), onde estão instaladas várias companhias de navegação. Além disso, o país conta com um aeroporto internacional em Coolidge, Antigua, e com outro, regional, em Barbuda. 

História
Antigua foi descoberta por Cristóvão Colombo em 1493. Mas a colonização das ilhas, levada a efeito pela Inglaterra, só começou no século XVII. Barbuda foi ocupada pelos ingleses em 1628, e Antigua em 1667. Assim como em outras ilhas caribenhas, a população indígena foi aniquilada pelos colonizadores e substituída por negros africanos trazidos para trabalhar nas plantações de cana-de-açúcar e algodão. A ilha de Barbuda, cuja colonização se baseou inicialmente na mão-de-obra escrava, foi concedida em 1680 à família Codrington, que manteve a possessão até o fim do século XIX. A partir de 1834, ano em que se aboliu a escravatura nas ilhas, a população negra de Barbuda começou a desenvolver um forte sentimento de autonomia e uma consciência de propriedade coletiva das terras.

Entre 1958 e 1962, Antigua fez parte da Federação das Índias Ocidentais, e cinco anos depois a colônia converteu-se em estado associado ao Reino Unido. Em 1981 o país obteve a independência, mas permaneceu como membro da Comunidade Britânica de Nações. Nesse mesmo ano, elegeu-se como primeiro-ministro Vere Cornwall Bird, líder do Partido Trabalhista de Antigua, que já havia governado o país entre 1967 e 1971 e de 1976 a 1981. Em 25 de outubro de 1983, Antigua e Barbuda participaram da invasão da ilha de Granada, junto com os Estados Unidos, Barbados, Jamaica, Santa Lúcia, Dominica, e São Vicente e Granadinas.

Antigua e Barbuda são uma monarquia constitucional regida por um governo representativo e um Parlamento bicameral; a chefia do estado corresponde à coroa britânica, representada no país por um governador-geral que designa os membros do Senado. Um conselho de governo se encarrega da administração da ilha de Barbuda. A adoção de um serviço médico e hospitalar gratuito, a implantação de ampla previdência social, a alfabetização e a escolarização obrigatória foram os programas mais destacados do governo.