Movimentos Astronômicos dos Climas e os Tipos de Tempo

Movimentos Astronômicos Relacionados aos Climas e aos Tipos de Tempo

Movimentos Astronômicos Relacionados aos Climas e aos Tipos de Tempo
Movimento de Rotação - O movimento de rotação é aquele em que a Terra gira ao redor de um eixo imaginário que passa pelo seu centro de polo a polo, o eixo polar ou eixo terrestre. Este movimento ocorre de Oeste para Leste num período de 23h 56min e 4 seg (24h). A consequência mais importante desse movimento é o fato de parte da Terra ficar voltada para o Sol, sendo iluminada, enquanto a parte oposta ao Sol fica no escuro, ou seja, o surgimento dos dias e das noites. Esse movimento explica a variação de insolação diária na superfície terrestre.

O movimento de Rotação da Terra em torno de seu próprio eixo faz com que qualquer local da superfície terrestre experimente uma variação diária em suas condições meteorológicas, especialmente na radiação solar e na temperatura do ar. Isso gera a escala diária de variação das condições meteorológicas. Além disso, esse movimento nos dá a sensação de que o sol está se movimentando, o que chamamos de movimento aparente do sol no sentido Leste-Oeste.

Movimento de Translação

Movimento de Translação - Ao mesmo tempo em que a Terra realiza o movimento de rotação, ela gira ao redor do Sol. Esse movimento é chamado de translação. A órbita (nome dado à trajetória dos planetas em torno do Sol) da Terra é completada em 365 dias, cinco horas e 48 minutos (um ano) e tem formato oval chamado de elipse. Não se deve esquecer que o eixo da Terra possui uma inclinação em relação à sua órbita (atualmente de 23º,5’) e que essa inclinação, juntamente com o movimento de translação determina uma variação anual de insolação na superfície terrestre o que, por sua vez, dá origem às estações do ano, isto é, determina uma variação nas condições de tempo atmosférico ao longo de um ano.

Em função do movimento de translação e da inclinação no eixo de rotação da Terra em relação ao plano da órbita, em determinados momentos do ano um hemisfério recebe mais energia solar que o outro. Já em outros momentos, os dois hemisférios recebem aproximadamente a mesma quantidade de radiação solar. A figura a seguir representa esses quatro momentos.

Os dias em que os dois hemisférios recebem a mesma quantidade de radiação solar denominam-se dias dos Equinócios, que ocorrem em média nos dias 20 ou 21 de março, sendo esse o início do Outono no hemisfério sul e da primavera no hemisfério norte. Nos dias 22 ou 23 de setembro, ocorre o outro equinócio e se dá o início da primavera no hemisfério sul e o início do outono no hemisfério norte. Nessas datas, o fotoperíodo é igual a 12h em todas as latitudes do globo terrestre. Já os dias em que a desigualdade de recebimento de energia solar está em seu extremo são denominados dias dos solstícios que ocorrem normalmente nos dias21 ou 22 de junho, sendo esse o início do inverno no hemisfério sul e ao verão no hemisfério norte. Nos dias 22 ou 23 de dezembro se dá o início do verão no hemisfério sul e do inverno no hemisfério norte. Nessa data, o fotoperíodo é mais longo no HS (>12h) e mais curto no HN (<12h). Na linha do Equador, fotoperíodo é igual a 12h. Os movimentos de Rotação e Translação da Terra constituem-se em um dos mais importantes fatores a condicionar os elementos do clima, fazendo com que esses variem no tempo, tanto na escala diária como na escala anual, o que corresponde a uma variação de curto prazo.

Solstícios e Equinócios

Outros Movimentos da Terra - Os movimentos de rotação e translação determinam uma variação de insolação (diária e anual, respectivamente) que é facilmente percebida por nós ao longo da nossa vida. Os demais movimentos cíclicos que a Terra executa geram efeitos praticamente imperceptíveis para os seres humanos (vida média de 70 anos). Isso porque esses movimentos levam muito, mas muito tempo para se completarem. Porém, são de grande importância para o entendimento das variações do clima, pois, embora pouco afetem a quantidade de energia solar que incide na superfície terrestre, mudam bastante a sua distribuição, o que exerce influência decisiva sobre os climas do planeta. Os movimentos que vamos estudar agora se constituem importantes fatores a condicionar os climas, fazendo com que esses mudem no tempo, mas agora, na escala de milhares de anos, o que corresponde a uma variação de longo prazo. O primeiro é chamado de excentricidade da órbita. Corresponde à natureza irregular da órbita da Terra, ou seja, a mudança no formato da órbita, de oval para quase circular, em um período de, aproximadamente, 100 mil anos. O periélio (distância mínima entre a Terra e o Sol) aumenta à medida que aumenta a excentricidade, o que gera menor insolação. Equivale a uma Variação Natural do Recebimento de Energia de Longo Prazo.

Variação da forma da órbita da Terra de elipsoidal para arredondada
O segundo movimento é conhecido como obliquidade do eixo. É a variação da inclinação do eixo da Terra, de 21,8 a 24,4 graus, aproximadamente, a cada 40 mil anos. O efeito gerado com o máximo de inclinação é a diminuição da insolação no planeta Terra. Equivale a uma Variação Natural do Recebimento de Energia de Longo Prazo.

Variação da inclinação do eixo da Terra

Movimento de precessão dos equinócios
O terceiro, e último movimento a ser aqui tratado, é a precessão dos equinócios. Constitui-se no movimento lento do eixo terrestre, em função da ação conjunta da gravidade da Lua e do Sol sobre a Terra, como um peão cambaleante. Segundo, Varejão-Silva (2000), o tempo necessário para dar uma volta completa, ou seja, para que o eixo terrestre gire 360°, é 2.770 anos. Para astronomia, isto significa que as posições das estrelas no céu, para um observador na Terra, mudam lentamente com o passar dos anos. Assim, a cada 26 mil anos, aproximadamente, a inclinação do planeta Terra muda, fazendo com que o hemisfério norte fique, alternadamente, mais perto e mais longe do Sol. Equivale a uma Variação Natural do Recebimento de Energia de Longo Prazo.